__

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Variabilidade da Altura Geopotencial

Variabilidade da Altura Geopotencial




A variabilidade da altura geopotencial pode ser estudada não somente através da variação sazonal da altura potencial média, mas também através do desvio padrão temporale o desvio espacial do distúrbio estacionário.Perfis meridionais dos seus valores zonal e vertical médios são mostrados na figura I.
Os perfis dena figura I(a) estão relacionados à temperatura média atmosférica. Eles mostram um máximo na região equatorial e um decréscimo monotônico em direção aos polos. Os perfis mudam sazonalmente com o Sol e os valores mínimos são obtidos na estação de inverno. Por outro lado, perfis de distúrbios transientes na figura I(b) mostram um mínimo suavemente para norte do equador e máximos nas regiões polares.

 Maioria dos perfis mostram fortes gradientes meridionais em latitudes extratropicais, que estão associados com as flutuações no vento zonal através da relação geostrófica. Como esperado, os valores anuais das componentes transientes são muito maiores do que as sazonais, pois eles incluem o ciclo anual o qual é tão grande que tende a esconder as variações sinóticas. A variância leste-oeste da altura média na figura I(c) mostra uma grande assimetria entre os dois Hemisférios, como a temperatura mostra [ver figura II(c) anterior], com simetria muito mais zonal no Hemisfério Sul do que no Hemisfério Norte, devido ao reduzido contraste de temperatura terra-mar no Hemisfério Sul. Em geral, as contribuições dos distúrbios estacionários são muito menores do que os transientes em si.

 Figura I. Perfis meridionais de saída da altura geopotencial vertical e zonal média (a), desvio padrão dia-a-dia da altura geopotencial (b), e desvios padrões leste-oeste da altura geopotencial média no tempo (c) em gpm (1gpm~1m) para condições médias anuais, DJF e JJA.